Escuna Fernanda

site da construção da Fernanda

Uma reportagem sobre a construção de Escunas na Cajaiba
Parte 1 Parte 2
Estaleiro da Cajaiba do Sul da Bahia

Informação interessante sobre êssas construções

1 Saco da Ribeira desde o alto da avenida direção Paraty : Drone
2 Chegada na escuna com Aumar

« Entendo que muita gente vê a construção destes barcos como um conhecimento popular, tradição que vai de pai para filho, neto, bisneto etc. Os métodos de construção são totalmente obsoletos, com enormes gastos de madeira, resultando em barcos com vida útil muito pequena. Se estes construtores analfabetos adotassem técnicas melhores de construção, vedação e conservação para estas belas embarcações, todo mundo ganharia: os construtores, os proprietários, que teriam um barco deste por muitas décadas e não apenas 10 anos ou até menos e principalmente a natureza, com menos derrubadas de árvores tropicais. Estes barcos são muito pesados, com cavernas extremamente superdimensionadas, pesando muito, exigindo motores enormes e portanto muito caros, e gastadores de diesel. O espaço interior de uma escuina é ridículo. Se os construtores usassem as técnicas modernas, todos sairiam ganhando. Não dá mais para continuar fabricando barcos sem plantas de construção como há 200 anos atrás. Isso é coisa do passado. Vejam como os construtores de barcos em Itajaí fazem os barcos e tomem estes como exemplo. Com a mesma quantidade de madeira, conseguem construir duas embarcações do mesmo tamanho. »